2018: Empresário brejosantense pleiteará candidatura ao governo do Estado de Roraima

689
O empresário Antônio Parima na foto com o líder do governo, deputado Brito Bezerra

Uma liderança empresarial de Roraima contou, ter recebido a visita do empresário do ramo de distribuição e atacado Antônio Parima, que se apresentou como pré-candidato ao Governo de Roraima. Foi uma primeira sondagem sobre a possibilidade de uma candidatura sua ao Palácio Senador Hélio Campos.

Parima estaria empolgado com o efeito João Dória, de São Paulo, já cotado como pré-candidato tucano à Presidência da República, e ao que aprece pretende arregimentar o empresariado local para hipotecar apoio à sua pretensão de disputar o governo estadual.

Registre-se que Parima foi o principal financiador da campanha de Suely Campos ao governo em 2014. Diante dos desacertos do governo, agora quer ele próprio quer disputar a cadeira de mandatário maior do estado, no Palácio Senador Hélio Campos.

A questão é que classe empresarial roraimense está ressabiada com empresários que se apresentam como candidatos a cargos públicos e depois a esquecem.

O caso mais emblemático citado por esta liderança que conversou com o blog é o do próprio Neudo Campos, que saiu do seio da classe empresarial nos anos 1990 e se fez governador de Roraima com a ajuda dos seus iguais, mas depois que virou político esqueceu das promessas feitas. Foi o que disse o empresário.

Sempre atuando nos bastidores como o homem do dinheiro, Antônio Parima agora quer atrair os holofotes da campanha para si. Resta saber se os empresários vão encampar mais esse projeto de poder. O mote da conversa com a liderança que falou ao blog é que é chegada a hora de os empresários se unirem para assumir a administração estadual. Chega de políticos no poder!

Depois do impacto inicial da eleição de João Dória em São Paulo, suas ações erráticas e suas idas e vindas deixam dúvidas quanto à capacidade administrativa de empresários na seara política. Hoje mesmo os números mostram que a rejeição do prefeito paulistano deu um salto de maio para junho, saindo de 39% para impressionantes 52%, segundo o Instituto Ipsos.

Vamos aguardar para ver os próximos movimentos do empresário roraimense em busca de se consolidar como candidato ao governo em 2018.

IN1